segunda-feira, 21 de agosto de 2017
Últimas Notícias
Capa / Política / Câmara de Vilhena recebe pedido de abertura de CPI contra Marcos Cabeludo

Câmara de Vilhena recebe pedido de abertura de CPI contra Marcos Cabeludo

Marcos Cabeludo herdou a vaga de Carmozino Alves. Ambos foram eleitos na mesma coligação no pleito eleitoral de 2016

A Câmara de Vereadores de Vilhena recebeu nesta terça-feira, 11, o pedido de instauração de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) contra o vereador, Antônio Marcos de Albuquerque, conhecido como Marcos Cabeludo.

O pedido que está assinado por um cidadão identificado como Valdecir Carlos, busca que os vereadores cassem o mandato do parlamentar por envolvimento em atos de corrupção.

Junto com o pedido de abertura de CPI, o morador protocolou também cópias dos processos criminais que o vereador responde atualmente e, nele mostra que Marcos Cabeludo cometeu os mesmos crimes que Carmozino Alves, Vanderlei Graebin e Junior Donadon (julgados pela CPI), ou seja, prática de atos de corrupção, quebra de decoro parlamentar, além de conduta incompatível com dignidade da Câmara e como agentes públicos, e, por isso deve ter o mandato cassado pela Câmara.

Cabeludo foi preso em novembro de 2016 por suposto envolvimento em um esquema de aprovação de loteamentos na cidade de Vilhena, em troca de benefícios e, permaneceu na cadeia por alguns meses até conseguir a liberdade provisória. Hoje ele está sendo monitorado por meio de tornozeleira eletrônica.

Marcos Cabeludo tomou posse na Câmara de Vereadores no dia 06 de junho, logo após a Justiça Eleitoral cassar o mandato do vereador Carmozino Alves. Ambos foram eleitos na mesma coligação no pleito eleitoral de 2016. Após a posse, Cabeludo foi impedido de exercer a função legislativa por decisão judicial.

Agora a Câmara deve avaliar se Marcos Cabeludo cometeu os crimes especificados pelo cidadão. A denúncia deverá ser lida em plenário e votada pelos vereadores, se rejeitada o processo será arquivada, se formada uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigará o vereador.

 

Texto: Folha de Vilhena
Foto: Divulgação

Sobre Redação